Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

riscos_e_rabiscos

.

.

A Professora é Estúpida!

 

Tenho de deixar aqui um desabafo, partilhar uma coisa convosco.

Ontem, como sempre, à última hora tive a aula do meu 4º ano. Cheguei lá atrasada praí um minuto. Bato à porta e abro-a. Deparo com uma cena aterradora. Perguntei se podia entrar, depositei as minhas coisas em cima da secretária e encostei-me a ela em silêncio.

 

Estava estupefacta com aquilo que os meus olhos viam mas mantive-me em silêncio. Até as entranhas se me revoltaram. Como profissional que sou, não interferi na cena. Há um fenómeno chamado “desautorizar a professora”. Por isso, mantive-me leda e queda.

 

A prof. de música estava completamente histérica e descontrolada. Olhos fora de órbita, completamente vermelha e esganiçada a gritar com alguns alunos. Um dos alunos chorava desalmadamente, outros dois tiveram a “audácia” de lhe responder ao que ela estava a dizer. Ela ainda se passou mais. Esticou o indicador direito, espetou-o em direcção ao nariz do miúdo e com a outra mão segurou-o por um braço. A cara dela ficou a 2 cm da cara do miúdo. Pensei que ela se iria armar em Hannibal, the canibal. Estava mesmo a vê-la dar-lhe uma dentada. O miúdo que chorava desalmadamente estava completamente alterado e rangia e cerrava os dentes de raiva. Finalmente, a brutamontes pegou nas coisas dela – quase que levava a cadeira dos profs atrás – e foi-se embora.

 

Pensei imediatamente “mais uma vez esta energúmena me estragou a minha aula!”. Os miúdos estavam super nervosos e revoltados e eu só os ouvia dizer que era “injusto”.

Pensei que o melhor era o assunto ficar por ali e ir embora com a brutamontes. Por isso, comecei a minha aula por dizer que não queria saber o que tinha acontecido e que queria que eles se acalmassem. Pedi para fazerem um minuto de silêncio e mandei o aluno choroso ir lá fora dar uma voltinha para se acalmar e lavar a cara.

A coisa acalmou mais um pouco mas houve um constante burburinho pois a turma estava solidária com o aluno choroso e sentiam-se todos extremamente injustiçados.

 

Dei a minha aula num ambiente de cortar à faca e, às tantas, também eu tive que levantar a voz, pois apesar de tudo, a matéria era nova e eles tinham que tomar atenção para perceberem. Contudo, eu estava do lado deles e seria a primeira a defendê-los.

 

Como sempre o A., não fez absolutamente nada na aula. A pedido do Dr., levei-o junto dele para que o aluno explicasse o porquê de não ter feito nada na aula. E até é muito inteligente. Eu aí pus a boca no trombone e perguntei ao A. se ele estava assim por causa do que se tinha passado em música. Para variar o A. não respondeu e ainda levou uma descasca do Dr.. E foi aí que eu disse que se passou algo na aula, que eu não sabia o quê, e a turma estava toda nervosa. O Dr. Fez uma expressão de furibundo e disse que no dia seguinte iria ver isso.

 

Quando me vim embora fui escoltada por 4 alunas abraçadas a mim e foi aí que elas me contaram o acontecido. Parece que um grupo de alunos partiu um instrumento a um aluno e a prof. disse que tinham todos que pagar. Resumidamente foi isto.

Acho que não valia a pena uma estupidez tão grande. E só mais uma perguntinha, se eu todos os dias conto ao Dr. como a turma se portou e se houve problemas, porque é que a brutamontes não contou o sucedido? Encontrei uma encarregada de educação a quem também referi que “se passou algo na aula de música”.

 

A brutamontes é mesmo embirrante. Ninguém a grama. Vamos lá ver as cenas dos próximos acontecimentos.